Meu filho tem um coleguinha autista, e agora?

Semana passada fiz um post no Instagram onde recebi um comentário muito interessante. 

Normalmente os comentários e mensagens são de mães de autistas, familiares ou professores, mas um em especial me chamou a atenção, me deixou contente e me fez refletir bastante sobre o assunto. 

Meu filho em um coleguinha autista, e agora?

O comentário em questão foi o de uma mãe de uma criança não autista, relatando sobre o seu filho que tem um coleguinha autista na escola, e onde ela queria saber como orientar seu filho para que ele acolha o coleguinha autista e cresça respeitando as diferenças. Achei tão linda e importante a iniciativa, que me inspirei a escrever esse post. 

Ela me pediu algumas dicas para incentivar o filho a se relacionar com o coleguinha, o que me fez pensar bastante sobre o assunto, evou listar aqui alguns pontos que considero importante.

1- Pesquise sobre o assunto: Mas calma, não precisa se tornar 'expert', mas conhecer sobre autismo vai te ajudar a derrubar alguns conceitos equivocados que talvez você tenha, e falo isso porque eu, sendo mãe de autista, tinha muitos, e a partir daí você pode conhecer sobre autismo e ensinar seu filho a lidar e acolher o coleguinha autista. Sugiro que procure por mães, pais de autistas e autistas nas redes sociais que abordam o assunto com muita propriedade, cada um no seu lugar de fala. 

2- Converse com a mãe do coleguinha do seu filho. Sim , isso mesmo. E acredite, essa mãe ficará muito feliz com essa iniciativa vinda de sua parte. Se apresente, diga que é mãe do coleguinha do filho dela, que gostaria de conhecer mais sobre a criança, pergunte o que ela gosta, do que ele não gosta, e de que forma você pode ensinar seu filho a acolher o filho dela para que ele seja incluído na turminha. Além de deixar essa mãe feliz, tenha certeza que ambas ganharão com isso. 

3 - Converse com seu filho e o incentive a se aproximar do colega: Explique da maneira mais apropriada a idade dele sobre a condição do coleguinha. Mostre vídeos sobre o assunto, pois são mais didáticos e de fácil entendimento. Diga que o coleguinha é diferente, e que diferentes todos são, todos tem habilidades e dificuldades, e que nós devemos sempre ajudar o coleguinha que apresenta alguma dificuldade, respeitando os limites dele. 

4 - Converse com a professora do seu filho, pois já que a situação de interação acontece a maior parte do tempo na escola, é importante que a professora esteja ciente da sua preocupação em ensinar seu filho a incluir o coleguinha, como a professora passa mais parte do tempo com os alunos, é possível que ela adote estratégias pedagógicas que favoreçam a inclusão e a boa convivência de todos. 

Abaixo deixarei alguns links que te ajudarão a tratar sobre o assunto com mais leveza e naturalidade possível. 

- O que é autismo?

Como funciona o cérebro do Autista

- Fafá conta - TEA: Autismo explicado para crianças

- Meu amigo faz iiiiih 

- Vídeo ensinando o que é o autismo para crianças

Como responder às crianças sobre o amigo autista

Espero que esse material possa ajudar, e saiba que se você leu até aqui e tem essa preocupação, a de incluir o coleguinha do seu filho, e de ensiná-lo a acolher e respeitar as diferenças, já é um bom caminho andado, e com certeza você conseguirá isso. Se orgulhará muito do filho que está criando para o mundo. 

Eli Nobrega - AtipicaMente Autista

Comente sobre

Postagem Anterior Próxima Postagem